Minas

Ministério Público do Trabalho quer preservar empregos na Samarco

MPT abriu dois inquéritos para apurar danos. Renda mínima para pescadores e trabalhadores rurais também é prioridade.

Expresso de Minas

O Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu dois inquéritos para apurar os prejuízos causados pelo rompimento das barragens da mineradora Samarco. O inquérito investigará as repercussões trabalhistas tanto de funcionários  da mineradora como de empregados de empresas terceirizadas e trabalhadores das cidades, distritos e comunidades rurais prejudicados pela tragédia ambiental. Questões relacionadas ao meio ambiente de trabalho, como a falta de monitoramento das barragens e segurança também serão inquiridas.

Uma das prioridades é garantir o emprego dos funcionários e terceirizados da mineradora e também uma renda mínima para pescadores, agricultores familiares e outros trabalhadores afetados, segundo o  procurador do trabalho, Geraldo Emediato de Souza.

O MPT montou um grupo de trabalho, composto por três procuradores, para investigar o caso. O grupo já se reuniu com representantes de sindicatos profissionais e da Secretaria de Saúde. Nesta quinta (19), ocorre uma reunião com representantes da Samarco. Uma Audiência pública também deve ser agendada para ajudar nas investigações.

Os procuradores do Trabalho também estão se articulando com outros órgãos envolvidos na investigação da tragédia em Mariana, como Ministério Público do Estado, Ministério Público Federal, Ministério do trabalho, sindicatos profissionais e secretarias de governo.

De acordo com o MPT, sete auditores estão levantando documentos, identificando os acidentes de trabalho (mortos e feridos) e produzindo relatórios sobre as investigações.

Comente aqui e publique no Facebook

Comentário(s)

Anterior

Mar de lama: conheça espécies da fauna e da flora do Rio Doce que podem desaparecer

Próximo

Legislação fraca, governos lenientes - a trágedia anunciada de Mariana