CulturaMinas

Minas lidera em número de bens culturais reconhecidos pela Unesco

Turismo pode crescer em BH. Destino de muitos turistas que chegam a Minas é Ouro Preto. Complexo da Pampulha pode atrair novos visitantes.

 Expresso de Minas

Neste domingo (17), o conjunto Moderno da Pampulha, em Belo Horizonte, conquistou o título de Patrimônio Cultural da Humanidade e destacou Minas Gerais, que é o estado brasileiro com maior número de bens inscritos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Além da Pampulha, também foram reconhecidos pela Unesco o Centro Histórico de Ouro Preto, o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, e Centro Histórico de Diamantina.

Minas lidera em número de bens culturais reconhecidos pela Unesco
Ouro Preto foi o primeiro sítio brasileiro considerado Patrimônio Mundial da Unesco, em 1980. Reprodução

Ouro Preto é hoje o destino mais procurado pelos turistas que visitam Minas, mas a conquista do complexo da Pampulha pode ajudar a mudar a situação de Belo Horizonte. De acordo com o jornal Estado de Minas, o arquiteto e historiador Leônidas Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura (FMC) e Belotur, disse que, segundo pesquisa, 60% das pessoas que chegam à capital visitam a Pampulha, e a região já começou a atrair novos visitantes. “Desde que aumentou a mobilização em torno da candidatura do conjunto moderno, a visitação aumentou 35%”, afirmou.

Minas lidera em número de bens culturais reconhecidos pela Unesco
Centro Histórico de Diamantina, inscrito na Lista de Patrimônio Mundial pela Unesco em 1999. Foto: Markito

O historiador prevê que o  título de Patrimônio Cultural da Humanidade deverá causar um impacto positivo para o turismo de Belo Horizonte, já que a decisão da Unesco representa um cartão de visitas para a cidade. “É um título muito potente, vigoroso e poderoso para atrair turistas e isso ocorre em todos os bens culturais reconhecidos. Pela importância para a humanidade, a Pampulha está no mesmo patamar das pirâmides do Egito e da arte barroca de Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, presente em Congonhas e Ouro Preto”, destacou.

Minas lidera em número de bens culturais reconhecidos pela Unesco
Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1985. Reprodução

O representante da Unesco no Brasil, o francês Lucien Muñoz, também avalia que o turismo deverá crescer na Pampulha, principalmente se houver bom planejamento e práticas sustentáveis que potencializem alternativas de desenvolvimento local, aliadas a práticas integradas de promoção, educação e preservação patrimonial. Para Muñoz, o fato de a cidade ter um bem inscrito na lista do Patrimônio Mundial gera motiva comprometimento oficial do poder público com a preservação do sítio.

Minas lidera em número de bens culturais reconhecidos pela Unesco
Conjunto moderno da Pampulha, projetado por Oscar Niemeyer na década de 1940, conquistou o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. Foto: Cristiano Machado / N/A

Patrimônio da Humanidade

Minas Gerais

Centro Histórico de Ouro Preto, Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, Centro Histórico de Diamantina e o conjunto arquitetônico da Pampulha, em Belo Horizonte.

Brasil

Centro Histórico de Olinda (PE), Missões Jesuíticas Guarani, Ruínas de São Miguel das Missões (RS e Argentina), Centro Histórico de Salvador (BA), Plano Piloto de Brasília (DF), Parque Nacional Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato (PI),Centro Histórico de São Luiz (MA), Centro Histórico de Goiás (GO), Praça de São Francisco, na cidade de São Cristóvão (SE) e Rio de Janeiro, paisagens cariocas entre a montanha e o mar.

Comente aqui e publique no Facebook

Comentário(s)

Anterior

Distrito Industrial de Betim inicia processo de modernização

Próximo

Pimentel cometeu pedalada fiscal, revela TCE