MinasPolícia

Anabolizantes: Polícia prende suspeitos de venda ilegal

Warley Abdo Silva,Ulisses Henrique e Vítor Magalhães foram enquadrados no Art. 273 do Código Penal.

Expresso de Minas

Através da Operação Belerofonte, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu em flagrante, na manhã dessa quinta-feira (14), três pessoas suspeitas de venda ilegal de anabolizantes.

Os presos são Warley Abdo Silva, de 28 anos; Ulisses Henrique Santos de Faria, de 25; e Vítor Magalhães Mirais, de 25. Todos eles foram enquadrados no Art. 273 do Código Penal, “falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais”, cuja pena de reclusão é de dez a 15 anos e multa.

Durante a ação, foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão nas cidades de Ouro Preto, Mariana, Conselheiro Lafaiete, Juiz de Fora e Três Corações. Foram apreendidos diversos anabolizantes (entre eles, testosterona, Deca Durabolin e ampolas de uso veterinário, todos com aplicação subcutânea), medicamentos com comercialização proibida no país e seringas.

Cerca de 100 policiais participaram da operação, que contou com o apoio do Núcleo de Operações Aéreas (NOA) da Polícia Civil. As investigações duraram aproximadamente cinco meses, e foram feitas com a colaboração do serviço de inteligência da PCMG.

O delegado responsável pelas investigações, Rodrigo Bustamante, ressalta a importância desse trabalho. “A investigação tem por objetivo combater o comércio de produtos não registrados nos órgãos de vigilância sanitária, que trazem malefícios enormes à saúde dos consumidores. Para obter a sensação do corpo perfeito, eles se submetem a verdadeiras experiências em seus corpos, não sabendo os malefícios que acarretarão à sua saúde”.

Belerofonte

O nome da operação faz referência à mitologia grega. Belerofonte foi um herói que conseguiu domar o cavalo alado Pégaso.

Comente aqui e publique no Facebook

Comentário(s)

Anterior

Mineira presenciou atentado terrorista no sul França

Próximo

Polícia prende quadrilha suspeita de roubo a residências